Carla Vilhena reclama de versões do funk nas redes sociais: “Porcaria e nojeira”

Ex-jornalista da TV Globo, Carla Vilhena usou as redes sociais para reclamar do barulho de baile funk perto de sua casa nesta madrugada. Vilhena chamou algumas letras de músicas do gênero musical de “porcaria” e “nojeira”, e ainda disse que “o funk pornô” está “a serviço do tráfico de drogas”.

“Inferno nos ouvidos, baile funk a todo volume. E quem tem que acordar cedo? Bem, pra que se preocupar com os trabalhadores, o bom mesmo é a tal ‘manifestação cultural’, que é como essa porcaria é chamada pelos pseudointelectuais”, afirmou, segundo o Terra.

“O funk pornô está a serviço do tráfico de drogas. E dominou as comunidades pois traz a conveniente alienação dos jovens, contrariamente ao rap, que fazia pensar”, continuou a jornalista.

“O funk de podridão estimula um comportamento tão baixo dos jovens, que muitos só conseguem fazer aquilo sob efeito de drogas. Rap conscientiza, funk aliena. Por isso o tráfico baniu o rap”, completou.

Nos comentários dos tuítes, Carla Vilhena foi chamada de preconceituosa por vários internautas, que afirmavam que ela “não entendia nem de tráfico, nem de rap, nem de comportamento, nem de jovem, nem de consciência, nem de alienação, nem de pensamento!”.

26/06/2019