São João: cuidados que devemos ter com os festejos

Chegou o São João! Nessa época, além das comidas típicas e das danças das quadrilhas, outros costumes tradicionais durante os festejos juninos são os fogos de artifícios e as fogueiras, que podem trazer riscos para a saúde caso a população não tome alguns cuidados.

O coordenador de enfermagem do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) em Alagoas, Heubert Guimarães, ressalta que durante os festejos juninos a principal ocorrência são queimaduras. “Elas devem ser primeiramente tratadas com água corrente, em temperatura ambiente”, orienta.

O enfermeiro também alerta para os mitos que ainda persistem na população sobre o tratamento de queimaduras. Substâncias como pó de café, manteiga e outras podem aumentar as dores e agravar a situação do paciente, dificultando os procedimentos que serão feitos pelas equipes de saúde.

As queimaduras podem acontecer em três níveis, atingindo apenas superficialmente a pele; o segundo passando para a derme; e o mais grave ocorre quando a queimadura alcança a região subcutânea, a camada mais profunda da pele. Nessas duas últimas situações, o paciente vai precisar de um atendimento especializado em uma unidade de saúde.

De acordo com Heubert Guimarães, esses tipos de lesões podem ser evitadas tomando atitudes simples de prevenção. “Para que não aconteça nenhum tipo de acidente a população deve ter cautela tanto na hora de soltar os fogos como na hora de comprá-los. O indicado é que as pessoas prestem atenção se o estabelecimento comercial possui a autorização do Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas”.

“Antes das brincadeiras, é de extrema importância ler todas as instruções do fabricante de como aquele material deve ser manuseado. E sempre vale lembrar que nesses momentos as crianças devem estar constantemente soba supervisão de um adulto”, salientou o enfermeiro.

O coordenador de enfermagem ainda orienta sobre outro tipo de acidente que pode acontecer que são as amputações pelo uso inadequado de fogos de artifícios. “Caso alguém presencie uma situação dessas, o primeiro passo é ligar para o número 192 e pedir ajuda. Após o contato com o Samu, é essencial tentar conter o sangramento, que pode ser feito com um pano limpo colocando pressão no local lesionado”, orientou.

Em todas as ligações feitas para o número 192 do Samu, o médico regulador irá avaliar a situação para a tomada de decisão, que pode ser o envio de uma Unidade de Suporte Básico (USB), ou de uma Unidade de Suporte Avançado (USA). E dependendo da situação, nos casos mais simples, o profissional irá orientar o paciente a procurar a unidade de saúde mais próxima, podendo ser uma Unidade de Pronto Atendimento, ambulatórios 24 horas ou postos de saúde.

Cuidados com as fogueiras

Além das queimaduras que também podem acontecer no momento da composição das fogueiras, outro risco à saúde pode ser causado pela inalação de fumaça.

“O cuidado maior deve ser com as pessoas que possuem um histórico de problemas respiratórios, e uma atenção diferenciada com crianças e idosos por terem um sistema imunológico fragilizado. O ideal é que esses grupos fiquem afastados das fogueiras, e do lado oposto a fumaça, pois ela pode ser um gatilho para uma crise asmática, por exemplo”, destacou Heubert Guimarães.

A população também deve ficar atenta a alguns sinais e sintomas que podem evidenciar que aquela pessoa está passando mal por causa da inalação da fumaça. “Caso alguém reclame de um desconforto, dificuldade para respirar, aumento da tosse ou inchaço na região do rosto, o indicado é afastar o mais rápido da fogueira, ligar para o Samu no número 192 e procurar uma unidade de saúde mais próxima”, alertou o enfermeiro.

Ascom – 23/06/2019