Sucesso no Youtube, “Contando Alagoas” estreia na programação da TV Educativa

O canal Contando Alagoas surgiu há dois anos e funciona como uma verdadeira viagem pelo estado. Os apresentadores Rafael Alves e Fernando Peron convidam o público a fazer um passeio pela história de Alagoas, narrando sobre locais e fatos históricos, além de apresentar a vida de personalidades alagoanas.

O Contando Alagoas já soma no Youtube quase 10 mil inscritos e conquistou a marca de mais de 90 mil visualizações em um dos vídeos. No programa, os assuntos são diversos, lá eles contam a história do famoso coqueiro Gogó da Ema, falam sobre a rua Jangadeiros Alagoas, explicando porque ela tem esse nome e tem vídeo até sobre personagens como Aurélio Buarque de Holanda, Graciliano Ramos e sobre Fernandes Lima, nome que deu origem a uma das principais avenidas de Maceió.

A ideia do projeto surgiu quando Alagoas completou 200 anos, em 2017 e veio com o objetivo de manter viva a história, deixando-a gravada e documentada para que todos possam ter acesso.Agora em parceria com o IZP (Instituto Zumbi dos Palmares), os vídeos do Contando Alagoas irão migrar do canal no Youtube para a TV aberta. O programa, de mesmo nome, tem estreia marcada para o dia 28 de junho na TV Educativa, as 20h45.

“Nós estamos muito felizes. É um espaço e uma oportunidade muito legal porque o nosso trabalho vai ser mais amplamente divulgado. Nós temos o canal, mas lá é um público mais restrito e nem todo mundo tem acesso, com a TV aberta mais pessoas serão alcançadas”, comemorou Rafael Alves.

Cada programa terá 30 minutos e serão exibidos três vídeos em três blocos, alguns com dois, dependendo do tempo de cada vídeo. Para sua estreia na TVE, o Contando Alagoas exibirá os vídeos sobre a Estátua da Liberdade, junto com a Praça Dois Leões e sobre Rosalvo Ribeiro.

“Tem muita gente que mora aqui em Alagoas e já foi pra São Paulo, Rio de Janeiro, até Nova Iorque, mas nunca foi pra Penedo, por exemplo. Isso é muito importante, a história precisa ser contada, para além da população ter orgulho de suas raízes, ter também um sentimento de pertencimento”, afirmou Fernando Peron.

Sobre a mudança para a TV, Fernando Peron comemora e explica que entre o canal no Youtube e a TV aberta há uma diferença muito grande de público, porque apesar de muitas pessoas acessarem a internet, nem todas consomem o mesmo conteúdo. “Acredito que a TV aberta vai nos trazer e nos apresentar a um novo público que ainda não alcançamos, isso chancela bastante o trabalho que nós fazemos”, destacou ele.

Ascom – 23/06/2019